Palavra do prefeito

MARINGÁ RESILIENTE: RUMO A RETOMADA DO CRESCIMENTO

O termo resiliência remete a capacidade de absorver força e impactos sem quebrar e com capacidade de voltar a sua forma original e, as vezes, ainda mais forte. Tenho comigo o entendimento que este anuário mostra um pouco da capacidade de resiliência de nossa cidade e região para o enfrentamento da grave crise econômica que a todos os setores atinge. Cidadãos, empresas, instituições e o poder público formam em nossa cidade uma malha resiliente capaz de absorver os impactos da crise, transformando-a em energia de oportunidade para, em breve, voltar a trilha do crescimento e desenvolvimento ao nível que a cidade vem experimentando nos últimos 10 anos. Minha confiança não é motivada apenas pela fé e espírito otimista. É calcada na história, dados, números e nas características de disposição para o trabalho, responsabilidade, visão estratégica e planejamento que define a personalidade do maringaense. Nossa malha social ainda enfrentará muita pressão no futuro próximo. No que tange a administração municipal, estamos preparados e com disposição para enfrentar a crise, mantendo as características de respeito ao dinheiro do contribuinte, gerindo a máquina pública com responsabilidade, planejamento, controle e tomando as decisões necessárias. Dedicamo-nos a tomar decisões e implementar ações hoje, para garantir que o futuro se concretize em bases sólidas, capaz de devolver qualidade de vida e ambiente propício para o desenvolvimento econômico.

Roberto Pupin

"Este anuário mostra um pouco da capacidade de resiliência de nossa cidade e região para o enfrentamento da grave crise econômica que a todos os setores atinge."

Prefeito de Maringá

História de Maringá

Conheça a Cidade Canção

O povoamento da área compreendida pelo atual Município de Maringá, iniciou-se por volta de 1938 mas foi apenas a partir dos primeiros anos da década de 40, que começaram a ser erguidas as primeiras edificações propriamente urbanas, na localidade conhecida mais tarde por Maringá Velho. Eram umas poucas e bastante rústicas construções de madeira de cunho provisório. Destinavam-se fundamentalmente, organizar na região um pólo mínimo para o assentamento dos numerosos migrantes que afluíam para essa nova terra.

Nossos pioneiros, chegavam em caravanas procedentes de vários estados do Brasil, organizadas pela CMNP- Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, em sua maioria colonos paulistas, mineiros e nordestinos. Os anos de 1947 e 1949 foram os que mais chegaram famílias. No pequeno núcleo urbano que surgia, concentravam-se as atividades de compra e venda de terras, as negociações entre proprietários, hospedagem de colonos recém chegados e algumas práticas ínfimas de comércio varejista.

O local funcionava também, como pousada para aqueles que se embrenhavam mato a dentro, no rumo desconhecido das barrancas do Rio Ivaí. A CMNP - Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, responsabilizou-se pela venda das terras e lotes, além da construção de estradas e implantação de núcleos urbanos. O traçado urbanístico da pequena aldeia, refletia os elementos de provisoriedade do assentamento. Eram logradouros irregulares, sem infra-estrutura e escoamento, iluminação ou água corrente. Deve-se observar, que desde muito cedo aquele centro pioneiro multiplicou suas funções conforme avançava a ocupação da região.

O Maringá Velho, deixava de ser apenas uma área central para desbravamento e tornava-se um local para onde os colonos convergiam a fim de receber notícias e correspondências, fazer compras e estabelecer a primitiva rede local de comunicações. Maringá, foi fundada em 10 de maio de 1947 como Distrito de Mandaguari, em l948 passou à categoria de Vila, elevada a Município através da Lei nº 790 de 14/11/l951, tendo como Distritos Iguatemi, Floriano e Ivatuba. A categoria de COMARCA, foi elevada em l954. A partir de l998, tornou-se sede da Região Metropolitana, integrada, além de Maringá, pelos Municípios de Sarandi, Paiçandu, Mandaguaçu Marialva, Mandaguari, Iguaraçu e Ângulo.

Maringá é um dos poucos municípios a comemorar sua data máxima quando da fundação e não de sua emancipação. É uma cidade cujo crescimento, obedece a um plano de desenvolvimento urbano. A CMNP- Companhia Melhoramentos Norte do Paraná contratou o arquiteto e urbanista Jorge Macedo Vieira,(1894 - 1978) paulista, que já constava em seu currículo, projetos como o do Jardim Paulista, da cidade de São Paulo e de Águas de São Pedro, no interior do Estado de São Paulo. Este arquiteto, jamais esteve em Maringá, mas criou, no entanto, um projeto considerado na época, l945, um dos mais arrojados e modernos. Sem conhecer a localidade a qual planejava, seguiu apenas as orientações da Companhia que exigia largas avenidas, muitas praças e espaços para árvores. A preocupação era elaborar um plano, cujas praças, ruas e avenidas, fossem demarcadas considerando-se, ao máximo, as características topográficas da área, a proteção e preservação do verde nativo, tudo conjugado com a organização do uso do solo.

 

Centro de Maringá

"O Maringá Velho, deixava de ser apenas uma área central para desbravamento e tornava-se um local para onde os colonos convergiam a fim de receber notícias e correspondências, fazer compras e estabelecer a primitiva rede local de comunicações."


Foto: Acervo O Diário

Tais preocupações ficam evidentes, quando se observam os traçados de suas amplas ruas em curva de nível e avenidas, estas com canteiros centrais. O plano inicial obedeceu as seguintes características:

a) Uma avenida atravessando a cidade de ponta a ponta, denominada Avenida Brasil (7450m);

b) Zoneamento do uso do solo por funções: zona residencial destinada às classes sociais mais elevadas, zona residencial destinada às classes populares, zona comercial, zona industrial, centro cívico, aeroporto, estádio municipal, núcleos sociais, áreas verdes, parques, etc. Os quarteirões e terrenos foram planificados para atender a cada uma dessas finalidades.

c) Na denominada zona 1, ficam concentrados o comércio, as edificações do centro cívico e de outros serviços públicos tais como: Prefeitura Municipal, Fórum, Câmara Municipal, Biblioteca Municipal, Agência dos Correios e Telégrafos, Central Telefônica e Estações Rodoviária e Ferroviária. Além desses equipamentos públicos, a zona conta também com a Catedral, estabelecimentos bancários e hotéis.

d) As zonas 2 e 5 se destinariam às residências, sendo que nos limites da zona 3, designada de Vila Operária, ficaria a zona industrial.

Surgida no período de ouro do ciclo da café, Maringá hoje, apresenta diversificada produção agrícola, composta de soja, algodão, milho, cana-de-açúcar, trigo sendo também grande produtora do bicho-da-seda. Os setores industriais de mais destaque são: alimentação, confecção, agroindústria, metal-mecânico e outros. Seu progresso acontece harmoniosamente sem perder as características de cidade planejada, onde a consciência pela preservação da natureza se impõe, como se pode notar, pela sua farta arborização, que proporciona um festival de cores todos os meses do ano. São 40m² de área verde por habitante (sendo 27m², correspondente a arborização de ruas e praças e 13m² reservas e parques, no perímetro urbano (Fonte: Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente – maio de 2003).

Maringá situa-se geograficamente no Norte do Paraná, localizada em um divisor de águas, sendo cortada em sua parte sul, pela linha imaginária do Trópico de Capricórnio. Possui 318.952 mil habitantes (Fonte: IBGE – julho/2005), com um clima, subtropical, uma vez que fica a 554,9m acima do nível do mar proporcionando assim ,chuvas bem distribuídas. Cidade constituída de diversas etnias, forma um meio cultural múltiplo, em função da corrente migratória que para aqui veio, como a colônia japonesa, portuguesa, árabe, alemã e italiana, que muito enriqueceram a cultura do Município com a preservação de suas tradições e folclore. A diversificação de sua economia, aliada ao espírito empreendedor, dinâmico e laborioso de seus habitantes, assegura boa qualidade de vida a todos os  que aqui habitam. (Fonte: Site oficial da Prefeitura de Maringá)

 

Aniversário: 10 de maio

Área territorial: 486,433km²

Distância da capital: 423,60km

Prefeitura: Paço Municipal Silvio Magalhães Barros. Avenida XV de Novembro, 701

Contato: +55 (44) 3221-1234

www.maringa.pr.gov.br

 

Cidade Planejada

PLANEJAMENTO ESTÁ NO DNA

Maringá nasceu de uma prancheta. Uma origem engraçada para uma cidade. No Brasil, a maioria das cidades são fruto de uma ocupação territorial feita por um ato momentâneo, voltado a atender um interesse imediato. Muitas vezes, o traçado caótico de grande parte dos espaços urbanos brasileiros se explica pelo povoamento aleatório, descontínuo que deixam marcas nos espaços. Raquel Rolnik, arquiteta e professora da Universidade de São Paulo, afirma que a cidade e uma "cebola", com suas camadas que marcam, registram o tempo e suas mudanças.

 

DNA

"O município se encaixa na dinâmica das cidades, mas não como obra deste acaso. A cidade nasceu planejada e teve até um "acampamento " provisório antes de nascer."

Gilson Aguiar

Sociólogo e Âncora da CBN Maringá

Maringá não obedece a este critério. O município se encaixa na dinâmica das cidades, mas não como obra deste acaso. A cidade nasceu planejada e teve até um "acampamento " provisório antes de nascer. O Maringá Velho, hoje um dos bairros da cidade, surgiu sabendo que seria o ponto provisório de um novo núcleo urbano.

O dia 10 de maio de 1947 talvez seja emblemático para entender o DNA do planejamento de Maringá. O evento de inauguração da cidade foi instalado em meio a um clarão aberto na mata. O local hoje abriga o Centro Comercial, na Avenida Brasil esquina com a Praça Raposo Tavares.

A Companhia de Terras Norte do Paraná, responsável pela colonização de parte das regiões norte e noroeste do Paraná, através da comercialização de terras, herdeira do projeto inglês da empresa que a antecedeu, a Paraná Plantation, chamou os produtores que já estavam instalados e outros interessados para mostrar, em uma planta baixa, um esboço, "um desenho", o que seria Maringá.

Todas as vezes que me lembro deste evento, me vem à mente a experiência de um dos pioneiros maringaenses, Felizardo Meneguetti. Na época, um produtor agrícola, veio com a família para a região produzir café, como tantos. Ele estava presente no dia da "inauguração". Ele relata que quando viu o discurso sobre o projeto para o futuro de Maringá, sobre os milhares de habitantes que ela teria e, segundo ele, "para coroar a alucinação", a afirmação de que em frente onde estavam teria uma avenida de mão dupla e um banco do outro lado da via, riu, não acreditou.

Felizardo me relatou que se arrependeu depois. Disse que se pudesse teria comprado muitos lotes urbanos, teria ganho muito dinheiro. Mas quem poderia acreditar que o que era aparentemente improvável virou um fato? A surpresa de Felizardo e, talvez, de todos que estavam no dia em que Maringá foi fundada, é o planejamento. Saber o que se quer, saber onde se está e onde se quer chegar diferenciam alucinações de realidade.

Hoje celebramos o Masterplan. O projeto que pretende pensar Maringá para 2047, ano em que estaremos comemorando cem anos da fundação, e que muitos podem considerar uma alucinação. Porém, esta cidade tem DNA e ele nasceu da ousadia de planejar os sonhos e transformá-los em realidade. Por isso, eu acredito nele.

As Qualidades de Maringá

A melhor cidade em planejamento urbano de acordo com a Revista Exame (publicação de agosto de 2015). Um dos pontos destacados é o uso pela prefeitura de imagens de satélite para evitar o crescimento desordenado.

38°

Cidade para se viver segundo a revista Exame 2014

Desenvolvimento Social

  • Construção, ampliação ou modernização de 30 escolas e Centros Municipais de Educação lnfantil (CMEls)

  • Estrutura atual: 60 CMEls e 49 Escolas Municipais, atendendo 32.400 alunos

  • Foram criadas 6.425 vagas, reduzindo a lista de espera de 7.145 (2013) para 1.616 (março de 2015)

  • Hoje há disponibilidade de 432 vagas no CMEls

  • Mais de 16.400 crianças com aulas de inglês do 1° ao 5° ano

  • Programa Bolsa Família: redução de 6.576 para 4.527 famílias cadastradas (- 30 %) = menos famílias em situação de risco

  • Zero (0) ocupação irregular

  • A cada 3 reais de despesas, 1 é para a área da saúde

  • 1,2 médicos para cada 1.000 habitantes

  • 32 Unidades Básicas de Saúde (UBS)

  • 2.1 milhões de atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e quase 6 milhões de procedimentos

Desenvolvimento Urbano

  • Pavimentação: investimento de 20 milhões para recape de mais de 1 milhão de m² em 22 bairros

  • Mais de 50 loteamentos

Resultados

  • 23° maior Índice de Desenvolvimento Humano IDH (0,808 - IBGE 2010) do Brasil e 2° do Paraná

  • 13ª em geração de empregos (CAGED/2013)

  • 6ª maior balança comercial (SECEX/MDIC2014)

  • 15ª maior em exportações (SECEX/MDIC2014)

  • 15ª melhor para negócios (Revista Exame 2013)

Educação básica

AS ESCOLAS MUNICIPAIS DE MARINGÁ OBTIVERAM A NOTA 7,1 NO ÍNDICA DE DESENVOLVIMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA (Ideb/2015). ÍNDICE COMPARADO AOS DOS PAÍSES MAIS DESENVOLVIDOS.

  • 8ª melhor cidade para se criar filhos e 1ª do Paraná (Revista Exame 2014)

  • 2ª melhor cidade em saneamento e 1ª do Paraná

  • 5ª melhor no combate à mortalidade infantil (DATASUS 2011)

  • 38ª melhor cidade para se viver (Revista Exame 2014)

  • 6° melhor aeroporto em potencial (Revista Airportinfra 2014)

  • Maringaenses movimentaram mais de R$ 254 milhões em compras online em 2014. Cidade está no 24° lugar no ranking nacional da empresa de consultoria paulista Conversation e 2° no ranking estadual, atrás somente de Curitiba. Foram 764,530 pedidos de compras pela internet (e-commerce)

A melhor entre as cidades do mesmo porte

Estudos da Urban Systems, empresa de análise de tendências de mercado e cidades, mostraram que em comparação a sete cidades-irmãs, escolhidas por terem desenvolvimento econômico e população similares a Maringá, o município se destaca positivamente com a evolução mais forte de empregos formais e de empresas entre 2002 e 201. Obteve o maior crescimento médio do Produto lnterno Bruto [PIB) de 2008 a 2011, com 16,5%.

Maringá deve atingir

540 mil habitantes em 2047

Na década de 1940, quando foi criada, Maringá havia sido planejada para ter 110 mil moradores. Em 2016,esse número já ultrapassa os 400 mil habitantes. O IPC-Maps estima que o município deve atingir 540.120 habitantes em 2047, ano que Maringá completará 100 anos. O cálculo foi feito pelos dados demográficos disponíveis. Também é possível calcular que os 13 municípios que formam a Grande Região de Maringá (GRM) devem alcançar 847.813 habitantes, enquanto o Estado do Paraná deverá atingir pouco menos de 12,2 milhões de moradores.

Em 2015, os 13 municípios da GRM têm uma população de 669.871 habitantes, enquanto o Paraná tem uma população de 11.163.018 habitantes. Ou seja, hoje a participação da GRM no Estado do Paraná é de 6,00%.  Em 2047, essa  participação será de 6,95%. GRM – Ângulo, Astorga, Doutor Camargo, Floresta, Iguaraçu, Ivatuba, Mandaguaçu, Mandaguari, Marialva, Ourizona, Paiçandu e Sarandi

IPC Maps

Algumas aplicações

SAIBA COMO APLICAR OS ÍNDICES DO POTENCIAL DE CONSUMO COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO PARA EMPRESAS DE QUALQUER PORTE

O indicador IPC Maps mostra a participação de cada município em relação ao total do Brasil, podendo ser analisado para 22 categorias de consumo e para cada uma das classes econômicas. Essa gama de possibilidades de análises permite que empresários e executivos, de empresas de todos os portes, possam fazer uso deste indicador em seus trabalhos de planejamento e análise de performance. Por exemplo: empresas médias e grandes, com atuação em um Estado ou em todo o Brasil, podem fazer uso do indicador do IPC Maps para seu planejamento de vendas, usando informações do mercado de consumo e não apenas informações da performance de sua equipe de vendas em anos anteriores.

Veja a aplicação do IPC Maps, tomando-se como exemplo os dados do mercado de motocicletas para as 27 Capitais de Estados brasileiros, com base no histórico das vendas do ano anterior. As 27 Capitais brasileiras, incluindo o Distrito Federal, são responsáveis por 25,0% de todo o consumo nacional, enquanto a marca em análise responde com a participação de 41,1% de suas vendas para este mercado das 27 Capitais.  A metodologia de cálculo sugerida, a seguir, reflete a consistência dos padrões de comportamento do mercado:

 

UF CAPITAL Empl. Marcas 2015 Empl. Motos 2015 R$ VEICULOS (IPC Maps) IPC VEICULOS VENDAS IPC META 2016
AC RIO BRANCO 47 8,58 257,313,354 49.493 85 85
AL MACEIO 300 8,423 697,927,078 134.243 229 300
AM MANAUS 20 16,656 1,161,812,697 223.469 382 382
AP MACAPA 457 8,809 312,424,174 60.093 103 457
BA SALVADOR 857 14,359 2,636,689,085 507.154 866 866
CE FORTALEZA 948 42,607 1,972,246,804 379.352 648 948
DF BRASILIA 467 20,418 4,319,770,849 830.886 1,419 1,419
ES VITORIA 186 3,294 613,815,864 118.064 202 202
GO GOIANIA 458 23,65 2,020,306,492 388.596 664 664
MA SAO LUIS 841 15,577 856,876,170 164.816 281 841
MG BELO HORIZONTE 518 27,828 3,235,674,912 622.365 1,063 1,063
MS CAMPO GRANDE 316 14,498 878,739,585 169.021 289 316
MT CUIABA 542 11,617 746,791,024 143.641 245 542
PA BELEM 475 16,936 818,994,002 157.529 269 475
PB JOAO PESSOA 228 15,164 774,463,504 148.964 254 254
PE RECIFE 911 21,325 1,276,400,958 245.509 419 911
PI TERESINA 1,193 25,196 622,391,560 119.714 204 1,193
PR CURITIBA 764 13,003 2,929,605,997 563.495 962 962
RJ RIO DE JANEIRO 1,658 31,026 5,044,724,406 970.327 1,657 1,658
RN NATAL 74 11,38 831,779,823 159.989 273 273
RO PORTO VELHO 257 14,789 467,416,969 89.905 154 257
RR BOA VISTA 10 7,361 472,745,228 90.930 155 155
RS PORTO ALEGRE 253 7,05 2,504,728,292 481.772 823 823
SC FLORIANOPOLIS 194 5,278 1,114,004,595 214.273 366 366
SE ARACAJU 125 8,888 613,892,544 118.079 202 202
SP SAO PAULO 4,842 81,034 14,429,211,081 2.775.385 4,74 4,842
TO PALMAS 137 6,362 379,204,449 72.938 125 137
-- TOTAL CAPITAIS 17,078 481,108 51,989,951,497 10.000.000 17,079 20,593 - 20,6%

Nesta análise, temos a cidade de Maceió, que vendeu 8.423 motos no ano anterior, sendo 300 da marca S em análise. Ao se depurar o mercado desse tipo de veículos, chegamos a um potencial de vendas de 229 motos da marca analisada. Como o resultado foi superior ao potencial de vendas do município, a cota de vendas dessa marca para esta Capital em 2016 será igual ao volume de vendas do ano anterior, ou seja, 300 motos.

Outro bom exemplo refere-se ao município de Curitiba, com 13.003 motos vendidas no ano anterior, registrando 764 unidades da marca analisada. Pelo potencial do município, o mercado comportaria 962 motos da marca. A cota de vendas para 2016 será, portanto, igual a 962 motos da marca analisada.

Mantendo-se esse raciocínio para cada uma das outras 25 Capitais a projeção de vendas da marca em análise, permite dimensionar o volume de vendas em 20.593 motos, cerca de 20,6% acima das 17.079 motos vendidas no ano anterior.

Para empresas com atuação local, caso de shopping-centers e também de pequenos varejistas e comerciantes que atuam apenas em um município, o indicador IPC Maps permite a análise do aumento ou redução do mercado consumidor da cidade onde atua e o cruzamento com suas vendas.

Por exemplo: a Grande Região de Maringá, foi responsável em 2014 por 0,43939% de todo o consumo nacional, movimentando R$ 14,3 bilhões; para 2015 o IPC Maps foi de 0,47900%, com movimento de consumo de R$ 17,9 bilhões. Portanto, de 2014 para 2015 houve crescimento no mercado consumidor da região de Maringá, o que permite aos empresários locais uma análise do desempenho do seu negócio frente ao mercado: caso suas vendas não tenham crescido, ele pode ter certeza que os consumidores estão comprando de empresas concorrentes e vai ter que tomar alguma atitude para não perder mercado.

  • Marcos Antonio Pazzini é engenheiro, com curso de especialização em Marketing. É Diretor da IPC Marketing  Editora Ltda., empresa que está há 38 anos no mercado brasileiro. É coordenador do estudo IPC Maps, que traz dados demográficos e potencial de consumo de cada um dos municípios brasileiros. Está na empresa há 24 anos. Anteriormente trabalhou em empresas de franquia e empresas de comunicação.

Potencial de consumo - IPC MAPS 2016

URBANA 397,028  
RURAL 6,214  
TOTAL 403,242  
     
     
     
  Homens Mulheres
0-4 anos 11,492 10,843
5-9 anos 11,623 10,856
10-14 anos 12,449 11,96
15-17 anos 8,231 7,717
18-24 anos 26,018 26,085
25-29 anos 17,301 17,22
30-39 anos 31,258 32,349
40-49 anos 27,875 31,257
50-59 anos 23,589 27,821
60 + anos 25,202 32,096
Total 195,038 208,204
     
Alfabetizada   369,54
Crescim.Demográfico (% a.a.)   1.49
Dens. Demográfica (hab/Km2)   826.4

Número de empresas 62,316
Industria 11,427
Serviços 29,143
Agribusiness 249
Comércio 21,497

Detalhamento por Setores
Serviços de Saúde 1,576
Agências Bancárias 79
Educação 1,174
Administração Pública 63
Atividades Financeiras 1,052
Correios/Out Ativ Entrega 218
Transportes 2,251
Alojamento 87
Alimentação 3,733
Reparação Veículos 3,458
Serviços em Geral 15,452
Indústria Extrativa 375
Construção 4,384
Reciclagem 82
Prod/Distr Eletric/Gás/Água 21
Indústria em Geral 6,565
Comércio Atacadista 5,098
Comércio Varejista 16,399

Share de consumo 0,3074

Nacional 42º
Estadual

 

Domicilios Urbanos CLASSE A CLASSE B CLASSE C CLASSE D/E TOTAL
Número de Domicílios Urbanos 4,946 53,176 65,156 16,036 139,314
% de domicílios por classe  3.6% 38.2% 46.8% 11.5% 100.0%
            
Dados Gerais    
URBANOS 139,314    
RURAIS 2,16    
TOTAL 141,474    

Área (Km2) 487.9
Frota de Veículos 309,581
Distância da Capital 350

Consumo per capita (R$/ano)
Urbano 29,751.20
Rural 22,065.71

Potencial de consumo por categoria/ em R$
Alimentação no Domicilio 89,803,481 586,712,274 450,259,380 105,668,754 1,232,443,889
Alimentação fora do Domicilio 56,028,395 285,638,563 135,094,981 18,381,382 495,143,321
Bebidas 13,489,456 78,008,824 51,331,669 10,503,647 153,333,596
Manutenção do Lar 308,952,847 1,502,740,183 945,322,669 190,865,719 2,947,881,418
Artigos de Limpeza 6,808,463 35,749,041 26,077,259 6,671,235 75,305,999
Mobiliários e Artigos do Lar 18,356,447 122,789,581 70,856,420 14,503,807 226,506,255
Eletrodomésticos e Equips. 22,764,272 109,551,495 87,853,124 14,484,452 234,653,343
Vestuário Confeccionado 47,125,270 198,479,537 113,027,031 19,123,348 377,755,186
Calçados 19,147,930 81,057,004 47,458,373 8,013,225 155,676,533
Outras Despesas com Vestuário 4,191,775 16,367,550 7,925,468 1,045,203 29,529,996
Transportes Urbanos 10,819,096 79,914,325 70,141,050 19,149,155 180,023,625
Gastos com Veículo Próprio 82,352,738 397,262,948 178,839,382 22,781,559 681,236,626
Higiene e Cuidados Pessoais 24,733,556 110,857,601 67,032,941 11,742,406 214,366,504
Gastos com Medicamentos 32,026,418 209,678,655 139,291,116 27,852,730 408,848,919
Outras Despesas com Saúde 45,324,587 222,772,965 68,435,438 6,161,537 342,694,527
Livros e Material Escolar 5,738,507 28,231,275 15,686,431 2,161,377 51,817,590
Matrículas e Mensalidades 37,290,755 75,537,867 35,629,997 2,748,497 151,207,117
Despesas com Recreação e Cultura 25,116,738 96,761,406 42,557,818 5,813,136 170,249,098
Despesas com Viagens 44,223,413 135,661,603 47,255,550 7,026,088 234,166,655
Fumo 2,572,298 16,235,704 19,846,938 7,206,741 45,861,680
Materiais de Construção 185,567,458 579,645,057 104,136,876 28,949,548 898,298,939
Outras Despesas 454,659,568 1,422,819,593 560,079,683 67,499,481 2,505,058,325
Total do Consumo Urbano 1,537,093,471 6,392,473,049 3,284,139,594 598,353,027 11,812,059,141
Consumo Rural -- -- -- -- 137,116,316
Total do Consumo Urbano + Rural -- -- -- -- 11,949,175,457
% de Consumo por classe 13.0% 54.1% 27.8% 5.1% 100.0%

Perfil Avançado - Maringá

Território e prefeito
Microrregião geográfica MRG de Maringá
Desmembrado de Mandaguari
Data de instalação 14/12/1952
Data de comemoração do aniversário 10 de Maio
Altitude da sede (IBGE)(m) 596
Distância à capital (SETR)(km) 423,6
Prefeito(TRE-PR) Carlos Roberto Pupin

Eleitores e Zonas Eleitorais Fonte Ano Município Região Estado
Número de eleitores TSE 2014 248.689 389.838 7.865.950
Quantidade de zonas eleitorais TRE-PR 2014 5 8 206

Área Territorial e Demográfica Fonte Ano Município Região Estado
Área Territorial (ITCG) (km2) ITCG 2015 486 1.572 199.880,20
Densidade Demográfica (hab/km2) IPARDES 2015 817,04 378,88 55,85
Grau de Urbanização (%) IBGE 2010 98,2 97,13 85,33
População - Estimada (habitantes) IBGE 2015 397.437 595.781 11.163.018
População - Censitária (habitantes) IBGE 2010 357.077 540.477 10.444.526
População - Contagem (habitantes)(1) IBGE 2007 325.968 502.201 10.284.503
Taxa de Crescimento Geométrico (%) IBGE 2010 2,15 1,83 0,89
Índice de Idosos (%) IBGE 2010 43,5 39,2 32,98
Razão de Dependência (%) IBGE 2010 36,5 38,49 43,78
Razão de Sexo (%) IBGE 2010 92,65 94,23 96,56
Taxa de Envelhecimento (%) PNUD/IPEA/FJP 2010 8,11 7,83 7,55

DESENVOLVIMENTO HUMANO E RENDA Fonte Ano Município Região Estado
Índice de Desenvolvimento Humano - IDH-M PNUD/IPEA/FJP 2010 0,808 -- 0,749
Índice de Gini da Renda Domiciliar Per Capita INGE 2010 0,4937 -- 0,5416

Educação Fonte Ano Município Região Estado
Matrículas na Creche (alunos) SEED 2014 7.873 10.703 175.064
Matrículas na Pré-escola (alunos) SEED 2014 8.224 12.630 221.229
Matrículas no Ensino Fundamental (alunos) SEED 2014 43.426 68.764 1.476.146
Matrículas no Ensino Médio (alunos) SEED 2014 14.694 22.129 476.110
Matrículas na Educação Profissional (alunos) SEED 2014 3.783 4.268 66.362
Matrículas no Ensino Superior (alunos) MEC/INEP 2014 32.554 33.536 376.563
Taxa de Analfabetismo de 15 anos ou mais (%) IBGE 2010 3,27 ... 6,28

Saúde Fonte Ano Município Região Estado
Estabelecimentos de Saúde (número) MS-CNES 2014 1.274 1.467 21.694
Leitos Hospitalares Existentes (número) MS-CNES 2014 1.389 1.682 27.691
Taxa de Fecundidade (filhos/mulher) PNUD/IPEA/FJP 2010 1 ... 1,86
Taxa Bruta de Natalidade (mil habitantes) IBGE/SESA-PR 2014 13 13 14,43
Taxa de Mortalidade Geral (mil habitantes) (P) Datasus/SESA-PR 2014 5 6 6,24
Taxa de Mortalidade Infantil (mil nascidos vivos) (P) Datasus/SESA-PR 2014 10 10 11,16
Taxa de Mortalidade em Menores de 5 anos (mil nascidos vivos) (P) Datasus/SESA-PR 2014 11,38 12,04 12,91
Taxa de Mortalidade Materna (100 mil nascidos vivos) (P) Datasus/SESA-PR 2014 60,95 76,87 41,28

 

Domicílios e Saneamento Fonte Ano Município Região Estado
Número de Domicílios IBGE 2010 129.464 192.228 3.755.090
Número de Domicílios Particulares Permanentes IBGE 2010 116.794 174.724 3.298.297
Abastecimento de Água (unidades atendidas (2) Sanepar/Outras 2015 159.506 190.174 3.679.296
Consumo de Água - Volume Faturado (m3) Sanepar/Outras 2015 26.318.075 30.999.509 580.839.736
Consumo de Água - Volume Medido (m3) Sanepar/Outras 2015 22.353.897 26.183.173 478.339.085
Atendimento de Esgoto (unidades atendidas (2) Sanepar/Outras 2015 151.199 169.604 2.499.625

 

Energia Elétrica Fonte Ano Município Região Estado
Consumo de Energia Elétrica (Mwh) COPEL 2014 1.140.925 1.518.235 29.468.894
Consumidores de Energia Elétrica (número) COPEL 2014 172.713 256.194 4.458.073

Trabalho Fonte Ano Município Região Estado
Número de Estabelecimentos MTE 2014 16.881 21.578 314.609
Número de Empregos MTE 2014 159.025 196.134 3.167.134
População em Idade Ativa (PIA) (pessoas) IBGE 2010 315.711 473.672 8.962.587
População Economicamente Ativa (PEA) (pessoas) IBGE 2010 204.301 302.943 5.587.968
População Ocupada (PO) (pessoas) IBGE 2010 195.136 289.377 5.307.831
Taxa de Atividade de 10 anos ou mais (%) IBGE 2010 65 64 62,35
Taxa de Ocupação de 10 anos ou mais (%) IBGE 2010 96 96 94,99

 

Agropecuária Fonte Ano Município Região Estado
Valor Bruto Nominal da Produção Agropecuária (R$ 1,00) DERAL 2014 152.492.376 727.736.678 70.675.022.152,79
Bovinos (cabeças) IBGE 2014 5.259 41.615 9.181.577
Equinos (cabeças) IBGE 2014 150 785 301.931
Galináceos (cabeças) IBGE 2014 809.000 4.040.906 301.885.901
Ovinos (cabeças) IBGE 2014 2.000 7.880 650.231
Suínos (cabeças) IBGE 2014 3.700 14.390 6.394.330
Cana-de-Açúcar (toneladas) IBGE 2014 67.015 205.317 14.913.173
Soja (toneladas) IBGE 2014 116.562 281.746 15.823.241
Milho (toneladas) IBGE 2014 90.652 742.815 47.947.529

Finanças Públicas Fonte Ano Município Região Estado
Receitas Municipais (R$ 1,00) Prefeitura 2014 1.031.039.812,44 1.225.467.546,67 26.727.385.073,50
Despesas Municipais (R$ 1,00) Prefeitura 2014 974.055.360,22 1.176.566.022,35 25.942.371.794,75
ICMS (100%) por Município de Origem do Contribuinte (R$ 1,00) SEFA-PR 2015 700.476.572,62 770.282.417,66 24.587.574.935,48
ICMS Ecológico - Repasse (R$ 1,00) SEFA-PR 2014 710.306,49 3.340.239,33 230.723.935,27
Fundo de Participação dos Municípios (FPM) (R$ 1,00) MF/STN 2014 50.616.210,84 127.374.320,39 4.336.170.922,00

Produto e Renda Fonte Ano Município Região Estado
PIB Per Capita (R$ 1,00) IBGE/Ipardes 2013 35.602,00 29.501,00 30.265
Valor Adicionado Bruto (VAB) a Preços Básicos (R$ 1.000,00 (3) IBGE/Ipardes 2013 11.743.246,00 14.806.353,00 287.052.092
VAB a Preços Básicos - Agropecuária (R$ 1.000,00(3) IBGE/Ipardes 2013 88.899,00 394.943,00 29.926.172
VAB a Preços Básicos - Indústria (R$ 1.000,00)(3) IBGE/Ipardes 2013 2.423.616,00 3.260.953,00 75.068.383
VAB a Preços Básicos - Serviços (R$ 1.000,00(3) IBGE/Ipardes 2013 7.997.452,00 9.341.415,00 146.069.847
VAB a Preços Básicos - Administração Pública (R$ 1.000,00)(3) IBGE/Ipardes 2013 1.233.279 1.809.044 35.987.678
Valor Adicionado Fiscal (VAF) (R$ 1,00) (P) SEFA-PR 2014 7.052.875.325 9.350.603.272 232.446.636.785
VAF - Produção Primária (R$ 1,00) (P) SEFA-PR 2014 183.759.360 563.326.466 45.311.099.047
VAF - Indústria (R$ 1,00) (P) SEFA-PR 2014 2.297.351.956 3.404.377.057 100.488.355.682
VAF - Comércio/Serviços (R$ 1,00) (P) SEFA-PR 2014 4.561.126.701 5.369.357.640 85.998.434.388
VAF - Recursos/Autos (R$ 1,00) (P) SEFA-PR 2014 10.637.308 13.542.109 648.747.668

O PIB de Maringá cresce a uma taxa elevada

Nos últimos treze anos, o PIB de Maringá vem crescendo a uma taxa extremamente elevada, porém, um crescimento nessa proporção sem o acompanhamento de um planejamento consistente e um crescimento de alto risco, podendo gerar graves problemas socioeconômicos no futuro.

Evolução do PIB real de Maringá comparado com o Brasil e China

Evolução do PIB real de Maringá comparado com o Brasil e China

Maringá Brasil China
176% 45,00% 185,00%

Maringá Brasil China
8,10% 2,90% 8.3%

O PIB das cidades conurbadas acompanha a mesma evolução do PIB de Maringá.

Evolução do PIB real de Maringá comparado com as cidades conurbadas

Evolução do PIB real de Maringá comparado com as cidades conurbadas

Maringá 176,40%
Mandaguari 159,20%
Marialva 154,40%
Mandaguaçu 148,00%
Sarandi 142,20%
Paiçandu 56,60%

Maringá 8,1%
Mandaguari 7,6%
Marialva 7,4%
Mandaguaçu 7,2%
Sarandi 7,0%
Paiçandu 3,5%

E crescimento do PIB representa crescimento na rensa per capita.

Ano Valor (R$)
PIB per capita de 7.944,00

Ano Valor (R$)
PIB per capita de 35.602,00

Em 2000 Maringá possuía uma renda per capita 2,1 vezes maior que a média das cidades conurbadas.

Em 2013 a diferença de renda caiu para 2,0 vezes, mas as cidades de Mandaguaçu e Paiçandu acentuaram a diferença com o PIB per capita de Maringá.

 

Multiplicou (número de vezes) Cidade Quantidade (R$)
0.7 Marialva 5.336,59
1.7 Mandaguari 4.781,46
1.9 Mandaguaçu 4.278,14
2.8 Sarandi 2.876,51
2.8 Paiçandu 2.874,69

 

Multiplicou (número de vezes) Cidade Quantidade (R$)
1.3 Marialva 26.726,16
1.4 Mandaguari 25.756,01
2.0 Mandaguaçu 18.093,01
2.7 Sarandi 13.238,39
3.1 Paiçandu 11.387,31




Maringá entre as cidades mais desenvolvidas da região sul

O índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado em dezembro de 2015, apontou Maringá como a melhor cidade para se viver no Paraná e entre as quatro melhores da região Sul. O município possui um indicador de 0,874, que a coloca no topo do ranking dos municípios paranaenses e cinco posições a frente da capital, Curitiba. Considerando a avaliação dos dados de 2013, Maringá atingiu o índice de 0,8740 (22º posição no ranking nacional). Em relação a 2012, o município cresceu 1,3% e ganhou duas posições, superando Apucarana (2º) e Cianorte (3º) que apareciam nas duas primeiras coloções no ano anterior. Completam a lista Campo Mourão (4º), Paranavaí (5º), Curitiba (6º), Pato Branco (7º), Medianeira (8º), Francisco Beltrão (9º) e Toledo (1Oº).

Metodologia

O Índice Firjan varia de 0 a 1, quanto mais próximo de 1, melhor e o desenvolvimento da cidade. A nota é calculada segundo a análise de três conjuntos de indicadores.

Educação

A federação analisa o número de matrículas na educação infantil, a proporção de estudantes que abandonam o ensino fundamental, além da distorção idade-série, o número de professores com ensino superior, a média de aulas diárias e o resultado do ldeb no ensino fundamental.

Emprego e Renda

O Índice leva em conta o quanto a cidade gera de empregos formais, sua capacidade de absorver a mão de obra local, quanto de renda formal e gerada, os salários médios e a desigualdade social.

Saúde

É calculado com base no número de consultas pré-natal, óbitos por causas mal definidas, óbitos infantis por causas evitáveis e número de internações sensíveis a atenção básica (ISAB). O ano-base de todos os indicadores usados na pesquisa foi 2013 (Fontes: Firjan/ PMM).

Maringá

ATINGIU A 22ª POSIÇÃO NO RANKING NACIONAL E CRESCEU 1,3% EM RELAÇÃO A 2012.

Paraná IFDM Emprego & Renda Educação Saúde
IFDM BRASIL 7.441 7.441 7.615 7.684
Mediana dos Municípios 8.511 8.511 8.414 9.136
Mediana dos Municípios 8.647 8.647 9.300 9.719
Mínimo dos Municípios 8.375 8.375 8.036 8.353

Ranking IFDM Geral            
Nacional Estadual UF Município IFDM Emprego & Renda Educação Saúde
22º PR Maringá 8.740 8.234 8.594 9.391
24º PR Apucarana 8.729 7.519 9.059 9.609
35º PR Cianorte 8.647 7.975 8.246 9.719
36º PR Campo Mourão 8.643 8.250 8.414 9.267
41º PR Paranavaí 8.627 7.947 8.668 9.267
45º PR Curitiba 8.618 7.799 8.437 9.618
51º PR Pato Branco 8.607 8.231 8.542 9.047
72º PR Medianeira 8.545 8.446 8.413 8.776
88º PR Francisco Beltrão 8.511 8.527 8.143 8.864
91º 10º PR Toledo 8.507 8.195 8.237 9.088
97º 11º PR Cascavel 8.494 8.171 8.174 9.136
101º 12º PR Mandaguari 8.480 7.754 9.300 8.387
144º 13º PR Londrina 8.411 7.851 8.036 9.345
157º 14º PR Umuarama 8.380 8.214 8.572 8.353
160º 15º PR Jandaia do Sul 8.375 6.943 8.711 9.471

Outros índices de Maringá

Segunda maior cidade do Paraná em volume de investimentos, de acordo com o Estudo Multi Cidades 2016, da Frente Nacional de Prefeitos. No ranking nacional, Maringá ocupa a 32ª colocação. Os dados são de 2014. O estudo analisa comparativamente a arrecadação e o gasto do dinheiro público nas principais cidades brasileiras.

AEROPORTO

Aeroporto Regional de Maringá tem crescimento acima da média nacional. Em 2015, foram registrados 876.461 embarques e desembarques. Uma alta de 5,45% ante 2014. A média nacional é de 3,5%.

AGRONEGÓCIO

Agronegócio sustenta a região de Maringá em meio a crise econômica. O setor foi o 2° em criação de empregos em 2015, perdendo apenas para o setor de serviços. A safra recorde de grãos e as exportações também colaboraram.

ARRECADAÇÃO

Arrecadação* estimada em 2016: R$ 1.251.385.461,00

(*) Receitas próprias e repasses dos governos estadual e federal

 

Arrecadação* estimada em 2017: R$ 1.492.622.860,00

(*) Receitas próprias e repasses dos governos estadual e federal

Uma das melhores cidades do Brasil

  • PLANEJAMENTO URBANO

    1ª em planejamento urbano do Brasil

  • DESENVOLVIMENTO HUMANO

    23ª em Índice de Desenvolvimento Humano – IDH e 2ª do Paraná (IBGE 2010)

  • MORTALIDADE INFANTIL

    5ª melhor no combate à mortalidade infantil e 2ª no Paraná (Datasus,2011)

  • SANEAMENTO

    2 ª melhor cidade em saneamento do Brasil e 1ª do Paraná (SNIS,2013)

  • NEGÓCIOS

    15ª melhor para negócios e 2ª do Paraná (Revista Exame, 2013)

  • CRIAR FILHOS

    8ª melhor cidade para se criar filhos e 2ª do Paraná (Revista Exame, 2014)

  • BALANÇA COMERCIAL

    6ª melhor balança comercial e 2ª do Paraná (Secex/ MDIC, 2014)

  • INVESTIMENTOS

    Projeção de R$ 1,6 Bilhão em investimentos para os próximos 5 anos

  • GERAÇÃO DE EMPREGOS

    10ª em geração de empregos e 2ª do Paraná (Caget/ MTE, 2013)

  • AEROPORTO

    6º melhor aeroporto em potencial e 1º do Paraná (Revista Airportinfra, 2014)

Microrregião

  • MERCADO

    4ª MELHOR EM BENS DE MERCADO E 1ª DO PARANÁ

  • QUALIDADE DE VIDA

    6ª EM QUALIDADE DE VIDA E 2ª DO PARANÁ

  • INFRAESTRUTURA

    7 ª EM INFRAESTRUTURA SOCIAL E 2ª DO PARANÁ

  • NEGÓCIOS

    11ª EM SOFISTICAÇÃO DE NEGÓCIOS E 2ª DO PARANÁ

  • CIDADE INDUSTRIAL

    20ª REGIÃO MAIS COMPETITIVA E 2ª DO PARANÁ

LEIA TAMBÉM

MASTERPLAN

Crescer de forma planejada é uma prática comum em grandes cidades do mundo. O Masterplan irá auxiliar esse crescimento social, econômico e ambiental de forma equilibrada.

A GRANDE REGIÃO DE MARINGÁ

É constituída por 12 cidades, que movimentam a nossa região economicamente e socialmente. Acesse os dados gerais e por cidade.

seta-top