Compartilhe o
nosso conteúdo
Dê a sua opinião

Infraestrutura

Apresentada proposta de R$ 81,5 mi por obra no aeroporto

02 de Agosto de 2018 Redação GRM
Com lance de R$ 81,5 milhões, o consórcio JE2 apresentou o menor valor no processo licitatório realizado pela Prefeitura de Maringá para contratação da empresa de engenharia que ficará responsável pela execução de obras de ampliação da pista e outras melhorias estruturais no Aeroporto Regional Silvio Name Júnior. O lance com menor preço representou um deságio de 22,82% em relação ao valor máximo estipulado de R$ 105,6 milhões para o lote único. Outros quatro consórcios de empresas participaram da fase de lances.

Por solicitação da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Semop), o pregão da fase de lances foi realizada na manhã desta quarta-feira, dia 1º, na sala da Diretoria de Licitação da Secretaria Municipal de Patrimônio, Compras e Logística (Sepat). O consórcio J2E é liderado pela empresa J. Malucelli Engenharia - de Curitiba, em parceria com a Extracon Mineração - de Maringá - e a AirTech Engenharia, de Brasília (DF).

Na segunda colocação ficou o consórcio Compasa do Brasil/Engemin, que baixou a proposta inicial de R$ 82,9 milhões para R$ 81,795 milhões, seguido dos consórcios Tucumann/Weiller/Aero (R$ 94 milhões), STMZ (R$ 103,4 milhões) e Aero-Maringá (R$ 104,5 milhões). O consórcio Sial/Paviservice/Parallela, que havia apresentado proposta de R$ 95,9 milhões, foi desclassificado por questões documentais na primeira fase.

Agora a comissão especial de licitação tem prazo indeterminado para analisar a documentação necessária para habilitação do consórcio arrematante.
A partir da conclusão do processo de análise, representantes das empresas concorrentes terão prazo de cinco dias para ingressarem com recursos.

As obras licitadas fazem parte do termo de compromisso assinado em 18 de agosto do ano passado, no próprio Aeroporto de Maringá, entre o município e o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil - MTPA, Maurício Quintella Lessa.

O convênio assinado prevê o repasse de R$ 120 milhões. Entretanto, em função da diminuição de 50 para 25 quilômetros da distância entre o aeroporto e as jazidas de terra que vão compor o aterro, o valor máximo estabelecido para a execução das obras foi reduzido para R$ 105,6 milhões. A contrapartida do município será de 6% do valor final da obra.

Entre as obras a serem executadas está prevista a extensão da pista para pouso e decolagem em mais 280 metros, passando dos atuais 2.100 metros para 2.380 metros.

O repasse de recursos prevê ainda a implantação de taxiway paralela à pista, além da revitalização da taxiway existente na faixa em que a aeronave pode taxiar até o terminal.

Também é prevista a reconstrução do pátio de aeronaves, reforma e ampliação da Seção Contra Incêndio (SCI) do Corpo de Bombeiros - que passará dos atuais 150m² para 300m² - e implantação de auxílios à navegação aérea e obras complementares.

De acordo com o superintendente do Aeroporto Regional de Maringá, Fernando Rezende, os anteprojetos de engenharia foram desenvolvidos por equipe técnica do Banco do Brasil, por solicitação da SAC, que os repassou para a Prefeitura de Maringá.

“Esse conjunto de obras será um grande divisor de águas para o Aeroporto Regional, que sempre acompanha o ritmo de desenvolvimento econômico de Maringá e região. A previsão é que os trabalhos sejam iniciados ainda neste ano, com a expectativa de que todo o projeto seja concluído no menor espaço de tempo possível”, assinala Rezende.

Por Diretoria de Comunicação da PMM
seta-top