Compartilhe o
nosso conteúdo
Dê a sua opinião

Terceira Idade

Idosos: o futuro chegou

17 de Novembro de 2018 Gilson Aguiar
51% dos brasileiros terão mais de 50 anos nas próximas três décadas. Chegar a terceira idade será uma condição perceptível para a maioria. Aquele olhar para o futuro será deixado de lado. Teremos a sensação de que o “futuro chegou”. E aí? Como vamos viver a chamada “terceira idade” ou, o que alguns chamam, “melhor idade”?

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), realizada em 27 capitais brasileiras, desenha o panorama financeiro das pessoas com mais de sessenta anos. O levantamento foi realizado em conjunto com o SPC Brasil. Nela, há uma percepção de como os idosos estão vivendo financeiramente.

Um dado importante, para iniciarmos, é que 66% dos idosos não recebem nenhuma ajuda financeira de seus parentes, vivem de sua própria renda. Um desafio que vai aumentar nas próximas décadas. Tanto pelo aumento da população na terceira idade, como pela ausência de uma família longitudinal. O parentesco irá reduzir. Estamos tento menos filhos, teremos menos primos, tios, netos, irmãos, etc.

O comprometimento da renda com a sobrevivência é outro ponto da pesquisa que merece destaque. 19% dos entrevistados não conseguem pagar todas as suas contas no mês. Já 39% pagam, mas não há sobras. Enquanto isso, 42% tem alguma sobra de sua renda.

Por conta da dificuldade de fechar o mês, 37% já atrasaram alguma conta. As de luz, água e telefone lideram entre os atrasos. A população com mais de 60 anos tem uma tendência a fazer empréstimos, 51%. Destes, 26% fizeram para ajudar algum parente ou amigo em dificuldade.

Vale ressaltar que 91% dos idosos contribuem para o orçamento de suas famílias. 43% são os maiores provedores, 53% dos homens investigados pela pesquisa. Dados que revelam a dependência de parte da população da renda dos aposentados.

A incerteza financeira para esta população é significativa. Já que o seu rendimento não é gasto exclusivamente com eles, mas com os dependentes também. O que preocupa, é que 48% realizam algum controle financeiro. A maioria não tem planejamento de seus recursos. Apenas 39% possuem alguma reserva para emergência.

Por isso, é necessário que o futuro seja planejado para os que não chegaram aos 60 anos ainda. Outra ação que pode melhorar a vida dos idosos é a qualificação dos jovens para que não fiquem dependente dos pais. Possam se tornar independentes financeiramente mais cedo. O aumente de produtividade da População Economicamente Ativa (PEA) é fundamental para melhorar o ambiente de envelhecimento da maior parte da população.

O futuro já chegou para muitos, daqui 40 anos terá chego para a maioria. Por isso, os índices devem ficar mais positivos na medida em que agimos hoje com um olhar para as consequências de nossos atos. O endividamento é um problema grave e o planejamento financeiro uma solução.

A pesquisa da CDL e do SPC Brasil foi realizada com 612 pessoas com mais de sessenta anos, de ambos os sexos. A margem de erro é de quatro pontos percentuais e 95% de acerto. Para saber mais sobre esta pesquisa, acesse: https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas
seta-top