Compartilhe o
nosso conteúdo
Dê a sua opinião

Puxado por serviços

Maringá fica em 26º na geração de empregos no País

29 de Maio de 2018 Fábio Castaldelli
Maringá criou 2.281 vagas com carteira assinada de janeiro a abril deste ano, após 25.193 admissões e 22.912 demissões. A cidade teve o 26º melhor resultado entre 5.659 municípios brasileiros, segundo levantamento feito pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (CODEM) com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.

O saldo alcançado por Maringá foi o melhor do interior do Paraná. Apenas Curitiba, com criação de 7.872 vagas, teve melhor desempenho que a Cidade Canção no acumulado dos quatro primeiros meses de 2018.

Juliana Franco Afonso, diretora executiva do CODEM, explica que em Maringá, o setor de serviços, com 1.607 novas vagas, foi o que mostrou melhor desempenho, representando 70% do total, seguido pela construção civil (17%) e o comércio (9%). “Estes são os setores que ficam entre os mais representativos no PIB (Produto Interno Bruto) de Maringá. No Brasil, cerca de 76% do PIB nacional é do setor de serviços sendo também o maior gerador de empregos formais do país, segundo dados do Caged”, comenta.

De acordo com Juliana, o setor de serviços, além de ser uma alternativa de mercado de trabalho, exige mão de obra em grande quantidade e é preponderante nas economias desenvolvidas. “Assim, é também necessário ter preparação para atuar nele, por meio de aperfeiçoamento continuo e adaptação às características do setor”, diz.

“Em Maringá, os segmentos que movimentaram o setor de serviços foram os nas áreas de tecnologia da informação, consultorias, assessorias, advocacias, contábeis e na área de saúde. Em todos os casos há demanda de mão de obra qualificada”, completa.

Apenas em abril, Maringá criou 517 postos de trabalho, saldo de 6.030 admissões e 5.513 demissões.
seta-top