Compartilhe o
nosso conteúdo
Dê a sua opinião

Gestão familiar

Pais, filhos e empresas são um bom negócio?

07 de Dezembro de 2018 Gilson Aguiar
Empresas familiares têm na sucessão o seu maior dilema. O consultor e Sócio da PwC, Carlos Peres, fala da pesquisa feita pela empresa e que descreve o perfil de empreendimentos que uma ou mais famílias na sua fundação e administração.

Peres considera que os negócios administrados por famílias ganham fidelidade, por mais que, quando iniciados tem dificuldade de sobrevivência, mas depois de consolidados tem vantagens competitivas. Para Peres, a sucessão é o principal obstáculo de uma empresa familiar. Deve-se ter profissionalismo na substituição do gestor sem comprometer o empreendimento e colocar em risco a relação familiar.

Segundo o consultor, cada caso é um caso, quando se fala de sucessão. Muitas famílias conseguem ver na troca da liderança da empresa um momento saudável de valorizar a dedicação dos que se identificam com o empreendimento. Mas nem sempre é assim. Às vezes, segundo o consultor, a escolha de uma administração externa é melhor. Porém, ele lembra, muitas empresas acabam sendo vendidas diante de uma crise na hora da sucessão.

Ouça a entrevista com o consultor Carlos Peres, da PwC, dada a Rádio CBN Maringá:

seta-top